CONCEITO DE MOEDA E

CARACTERÍSTICAS DA MOEDA METÁLICA


CONCEITO DE MOEDA

Duas teorias distinguem-se na conceituação da moeda: a metalista e a nominalista

No conceito metalista, a moeda é tida como mercadoria, devendo ser de metal fino e produzida como qualquer outra mercadoria.  Para esse realismo monetário, os saldos comerciais e a produção do metal fino é que determinam a quantidade de moeda em circulação.  No desenvolvimento dessa teoria, ainda há vários aspectos a considerar, como:

-  O da moeda metálica da Antigüidade, de metal sem liga e sem forma definida;

-  O da moeda formal, constituída de liga em que predomine o metal fino e represente mercadoria autônoma, diversa de outras mercadorias, com mercado próprio;

 

-  O da moeda que deixa de ser exclusivamente de metal, mas com garantia de metal fino para lastrear o curso da moeda-papel;

 

-  O da moeda-papel exclusiva, garantida pelo seu equivalente em metal;

 

-  E o do papel-moeda inconversível, todo ele destinado aos compromissos do câmbio internacional (metalismo cambial), constituindo área de conversibilidade limitada aos países que o adotam.

  Já no conceito nominalista, a moeda não é mercadoria, mas é aceita pelo seu valor nominal, como símbolo, nas relações de troca. Nesse caso, a moeda não constitui valor econômico, mas apenas instrumento financeiro, criado pelo Estado, com poder liberatório, a serviço das finanças públicas. A este conceito estatal sobrepõe-se outro, o institucional, que admite a moeda como instrumento de Economia Política, criado pelo Estado, com poder liberatório, a serviço dos interesses da coletividade.

 

CARACTERÍSTICAS DA MOEDA METÁLICA

A moeda cunhada em metal e de forma circular difundiu-se por todo o mundo, pelas vantagens oferecidas ao comércio.  Quando um povo atingia determinado estágio de civilização, os metais preciosos eram adotados e cunhados por possuírem as seguintes características:

-  Valor Intrínseco, para o qual contribuem o trabalho artístico e a resistência à ação dos agentes físicos;

-  Dureza, pois só se gastam pelo atrito constante;

-  Fácil Divisibilidade, pois cada uma de suas partes conserva as mesmas qualidades;

-  Raridade Relativa, pois não são abundantes nem excessivamente difíceis;

-  Grande Valor em Pouco Peso, sendo por isso, facilmente transportáveis;

-  Identidade entre as peças monetárias;

-  Grande Poder Aquisitivo, servindo como instrumento de poupança;

-  Pequena Variação de Valor, o que supõe poder aquisitivo fixo durante certo período de tempo;

-  Facilidade de Reconhecimento,  pelo peso, dureza, som e cor, a evitar fraudes;

-  Propriedades Industriais, pois tanto servem de moeda, como se prestam à confecção de outros objetos;

-  Ponto de Fusão Elevado, que dificulta a falsificação.

 

Com a criação da moeda, o sistema de troca passou a funcionar em duas operações distintas: quando se troca a riqueza por moeda, e quando se adquire, com a moeda, a riqueza desejada.

  BENS   =>   MOEDA  =>   BENS 


 Artigos

 Índice